O Futuro da Inteligência Artificial: Perspectivas e Desafios com o consultor Robson Profeta

 

Veja como a IA impacta na competitividade em todos os setores, dando ênfase para a inteligência humana

 

No cenário empresarial atual, a Inteligência Artificial (IA) emerge como uma força que modificará a maneira como as organizações operam e prosperam. Desde a automação de processos até a análise de dados avançada, a IA oferece uma ampla gama de aplicações que podem impulsionar a eficiência, a inovação e o potencial competitivo de todas as áreas.

À medida que avançamos em 2024, é evidente que a adoção da IA atinge um ponto de inflexão nas empresas. De acordo com um diagnóstico abrangente, realizado por especialistas em tecnologia e consultores corporativos, espera-se que, até o final deste ano, mais de 80% das empresas de médio a grande porte tenham implementado alguma forma de IA em suas operações.

Essa proliferação da IA é impulsionada por uma série de fatores, incluindo o aumento da disponibilidade de dados, avanços significativos em algoritmos de aprendizado de máquina e a crescente demanda por eficiência e personalização por parte dos clientes. Como resultado, as empresas entendem a IA como uma solução para otimizar processos, aprimorar a tomada de decisões e criar experiências mais personalizadas para os clientes.

“Simplisticamente falando, a IA é um campo da ciência da computação que se concentra no desenvolvimento de sistemas e máquinas que realizam atividades que, via de regra, requer a inteligência do ser humano, incluindo reconhecimento de padrões, aprendizado, raciocínio, resolução de problemas, compreensão de linguagem especifica bem como a tomada de decisões. Dito isto, podemos afirmar que a IA obtém informações de um histórico disponível, convertido de forma eficaz ao usuário final. Entretanto a IA não conseguiria dizer que o significado de uma maçã caindo da macieira seria o resultado das leis da gravidade de Newton ou da distorção do espaço tempo de Einstein se estes cientistas não tivessem publicado tais informações. Além disto, a existência de um banco de dados com informações imprecisas também poderá gerar um grande risco de resultado equivocado da máquina.

Empregos certamente serão afetados, como sempre foram, como o advento da tecnologia. Não acredito que a IA substituirá o ser humano, mas acredito que o ser humano com conhecimento em IA, certamente substituirá aquele sem este conhecimento, analisa o consultor estratégico, Robson Profeta.

 

Aspectos que apontam a Inteligência Artificial como transformadora

Em todos os setores da empresa, a IA desempenha um papel transformador. Confira:

•​Operações: a IA é usada para automatizar tarefas repetitivas e melhorar a eficiência operacional. Desde a manutenção preditiva de equipamentos até a otimização da cadeia de suprimentos, a IA ajuda as empresas a reduzir custos e aumentar a produtividade.

•​Marketing e Vendas: nesse setor, a IA é usada para analisar grandes volumes de dados do cliente e prever tendências de compra. Isso permite que as empresas personalizem suas campanhas de marketing e ofereçam recomendações mais relevantes aos clientes, aumentando assim as taxas de conversão e fidelidade do cliente.

•​Atendimento ao Cliente: por meio de chatbotsinteligentes, capazes de responder a consultas em tempo real e fornecer suporte personalizado 24 horas por dia, 7 dias por semana, a IA fará com que haja uma redução significativa dos famosos call centers, além também de possibilitar o trabalho remoto. Aquelas salas com centenas de pessoas uma ao lado da outra em sua baia já é passado.

 

•​Recursos Humanos: na área de recursos humanos, a IA é utilizada para otimizar o recrutamento e a seleção de candidatos, identificar tendências de engajamento dos funcionários e até mesmo prever problemas de rotatividade. Isso permite que as empresas construam equipes mais eficazes e cultivem um ambiente de trabalho mais produtivo.

“O mundo ainda não percebeu efetivamente o impacto que a IA causará. Por exemplo, se antes um desenvolvedor de sistemas, demorava dias, semanas ou meses para elaborar um código de programação, hoje em programas de linguagem.  isto pode ser facilmente escrito pela IA. Não que a função do desenvolvedor acabe, até porque é preciso saber o que pedir para a IA e o melhor profissional a fazer a pergunta certa, continuará sendo o desenvolvedor de sistemas e este, usará parte do seu tempo em maximizar outros processos.

Imagine um buscador da internet, que nada mais é do que uma grande empresa de anúncios online, sendo substituída por uma outra ferramenta que, ao invés de dar uma lista de possibilidades, te entrega apenas uma única resposta? Certamente ocorrerá uma enorme discussão sobre a resposta cedida pela IA. Será que a nova ferramenta agirá de forma independente ou enviesada. Certamente esta pergunta eclodirá fortemente nos próximos meses com a massificação do uso da IA, provoca Robson.

Perfil Robson Profeta

Executivo com mais de 30 anos de experiência, graduado, pós-graduado, com MBA pela FGV e extensão pela Universidade de Chicago. Especializado em Branding, Estatística e Inteligência Emocional ( FGV e Insper), membro da Associação Mensa Brasil e autor da obra ‘Teoria da Riqueza’ um dos cases de sucesso que traz uma linguagem acessível para todas as idades, propondo uma nova forma de pensar no âmbito financeiro e do autoconhecimento vocacional.

Previous post IBGE: Indústria de Alimentos Cresce Enquanto Setor Automobilístico Apresenta Retração na Última Década